5 fatos incríveis sobre o esperma que você não sabia

Table des matières

Os espermatozoides são geralmente vistos como simples portadores de DNA, mas essas células minúsculas têm muito mais a oferecer. Neste artigo, descubra 5 coisas incríveis para saber sobre esses seres minúsculos e fascinantes que desempenham um papel essencial na reprodução humana.

1. A corrida mais acirrada do mundo: a corrida dos espermatozoides

A competição entre os espermatozóides é feroz, pois eles precisam percorrer uma longa distância para chegar ao óvulo e fertilizá-lo. Na verdade, é provavelmente a corrida mais difícil do mundo: a corrida dos espermatozóides. De fato, essa é provavelmente a corrida microscópica mais complexa e exaustiva que se possa imaginar.

A pista de obstáculos para os espermatozóides

No momento da ejaculação, vários milhões de espermatozóides são liberados na vagina. Entretanto, apenas alguns conseguem chegar ao óvulo. Para chegar lá, eles precisam atravessar um ambiente hostil, atravessar o muco cervical, subir pelo útero e, finalmente, entrar na trompa de Falópio.

Atletas de alto nível

Diante desses obstáculos, os espermatozóides demonstram resistência e força excepcionais. Eles podem nadar a uma velocidade média de 2 a 5 milímetros por minuto, o equivalente a um ser humano percorrendo vários quilômetros. Além disso, eles podem usar golpes de cauda muito poderosos para se impulsionar para a frente e eliminar os obstáculos em seu caminho.

2. Os espermatozoides variam em longevidade

Ao contrário do que se possa pensar, nem todos os espermatozóides são iguais em termos de vida útil. Sua longevidade depende de vários fatores, inclusive do ambiente em que vivem.

No corpo masculino

Nos testículos, os espermatozóides podem sobreviver por várias semanas ou até meses. Entretanto, sua qualidade e capacidade de fertilizar um óvulo diminuem gradualmente com o tempo.

Fora do corpo

Uma vez liberados durante a ejaculação, os espermatozóides têm apenas uma pequena janela de oportunidade para cumprir sua missão. Fora da vagina, eles morrem rapidamente: sua vida útil geralmente é inferior a algumas horas ao ar livre ou sobre a pele.

Dentro do corpo feminino

Quando introduzidos na vagina, os espermatozóides se beneficiam de um ambiente mais favorável à sua sobrevivência. Eles podem viver por até cinco dias no trato reprodutivo feminino, o que lhes dá a chance de encontrar um óvulo para fertilização.

3. A qualidade do esperma pode ser influenciada pelo estilo de vida

É interessante notar que certos aspectos do estilo de vida e do ambiente de um homem podem afetar a qualidade do esperma. Aqui estão alguns exemplos:

  • Dieta: uma dieta balanceada rica em nutrientes essenciais promove a produção de espermatozoides saudáveis e viáveis.
  • Exercício físico: o exercício regular pode melhorar a qualidade do esperma, principalmente por aumentar sua concentração e mobilidade.
  • Temperatura: os testículos são sensíveis ao calor, e a exposição prolongada a altas temperaturas (por exemplo, ao usar um laptop no colo) pode afetar a produção de esperma.
  • Estresse: foi demonstrado que o estresse crônico pode reduzir a quantidade e a qualidade dos espermatozoides produzidos.

4. Os espermatozoides têm um sistema de navegação sofisticado

Para alcançar o óvulo com sucesso, os espermatozóides devem ser capazes de navegar com precisão pelo trato reprodutivo feminino. Para isso, eles têm um sistema de navegação complexo que lhes permite detectar os sinais químicos emitidos pelo óvulo e se mover gradualmente em direção a ele.

Quimiotaxia do espermatozoide

Os espermatozoides são capazes de perceber os gradientes de concentração de determinadas moléculas (como a progesterona) presentes no ambiente ao seu redor. Com base nessas informações, eles ajustam sua trajetória em direção ao óvulo.

O papel crucial do cálcio

O cálcio desempenha um papel central no processo de navegação dos espermatozóides. Quando eles detectam um gradiente de progesterona, os canais de cálcio em sua membrana se abrem, causando um aumento repentino na concentração de cálcio dentro da célula. Essa cascata de reações bioquímicas leva a uma mudança na frequência e na amplitude da batida da cauda do espermatozoide, permitindo que ele mude de direção e velocidade.

5. Os espermatozoides variam muito em sua morfologia

Você sabia que nem todos os espermatozoides são parecidos com aqueles vistos normalmente em diagramas? De fato, sua forma pode variar consideravelmente de um indivíduo para outro e até mesmo de um espermatozoide para outro dentro da mesma amostra de esperma.

Formas atípicas

Alguns espermatozoides têm uma cabeça maior ou menor do que o normal, uma cauda que se enrola em torno de si mesma ou anormalidades no núcleo. Alguns espermatozóides têm até duas cabeças ou duas caudas!

Impacto na fertilidade

Essas diferenças morfológicas podem afetar a capacidade do espermatozoide de fertilizar um óvulo. Em geral, quanto mais anormal for um espermatozoide, menor será a probabilidade de ele cumprir sua missão. Entretanto, dado o grande número de espermatozóides presentes em cada ejaculação, apenas um precisa ser capaz de alcançar e penetrar no óvulo para que a concepção ocorra.

Partagez la publication :

A Lire Aussi :